sexta-feira , 23 fevereiro 2024

Mozilla libera FireFox 2.0

A Mozilla Foundation liberou nesta terça-feira (24), a versão oficial do navegador Firefox 2.0. O lançamento, realizado cinco dias depois de a Microsoft ter disponibilizado o Internet Explorer 7 (IE7), esquenta a guerra dos navegadores, que ganhou força em novembro de 2004, com a estréia do Firefox 1.0.

O FireFox2.0 sai na frente do IE7, uma vez que já está disponível em mais de 40 línguas diferentes (inclusive português do Brasil) e para os três principais sistemas operacionais disponíveis: Windows, Linux e MacOS.

A aparência do novo programa é bastante semelhante à versão anterior – os ícones sofreram pequenas alterações, mas nada que impressione ou mude a identidade visual da ferramenta. As principais surpresas ficam por conta de um corretor ortográfico que checa palavras digitadas em formulários, além da caixa de busca que sugere termos de um banco de dados conforme eles são escritos. Até então, apenas as palavras que já haviam sido procuradas pelo internauta apareciam na caixa.

O Firefox 2.0 também sai na frente com a função “restauração da sessão”. Quando as janelas fecham abruptamente, o usuário tem a alternativa de reiniciar a navegação com as mesmas páginas abertas antes do “acidente”. Testes realizados pelo G1 também mostram que a novidade facilitou o uso das abas, todas abertas em uma mesma janela – agora, cada uma delas tem um botão de encerramento, ao contrário do que acontecia com o Firefox 1.5.0.7.

Nessa nova batalha da guerra dos browsers, os dois principais representantes do mercado se empenharam em acrescentar funções que facilitam ao máximo a navegação dos usuários. A idéia é resolver problemas já antigos e também criar ferramentas úteis, das quais os internautas nem sabiam que precisavam – talvez uma delas seja o programa anti-phishing, disponível nos dois navegadores, que alerta sobre sites perigosos.

O navegador da raposa tem atualmente 11,49% do mercado, contra 85,85% do Internet Explorer, segundo a empresa de tráfego na internet OneStat. Em maio de 2004, quando o principal concorrente do IE estava disponível somente em versão de testes, os números ficavam em 2,4% e 93,9%.

Em alguns dos países medidos pela companhia, a participação do Firefox é bem maior do que a média — 33% na Alemanha e 25% na Austrália. Nos Estados Unidos, a porcentagem fica em 14,88%. O estudo não divulga dados relacionados ao Brasil.

Fonte: Mozilla

Deixe um comentário

RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter
YouTube